Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \21\UTC 2009

Quando tudo vai mal, é melhor ficar quieto e deixar a fase passar. Em dias de azar, qualquer tentativa de acerto, por mais calculada que seja, vai acabar dando errado. Ontem, o lanterna Fluminense levou sua maior goleada neste campeonato Brasileiro: perdeu de 5 a 1 para o Grêmio. Se os gols contra fossem marcados a favor, ficaria 3 a 3. Mas os jogadores do tricolor carioca não conseguiram fazer direito nem os gols contra: o árbitro da partida deu um deles para Souza, jogador do Grêmio que, antes da cabeçada de Adeílson, havia cruzado a bola na área.

Nesses dias de azar, não tem jeito: o que tiver de dar errado, assim será. Eu e meu irmão, nesses dias, temos uma incrível atração por quinas. Em casa, fazendo o repetitivo e conhecidíssimo percurso sala-cozinha, as pontas de mesas, bancos, armários e até de um inofensivo suporte para panos de prato se transformam em perigosas armas, todas apontadas para nossos joelhos, cotovelos e, claro: para o dedo mindinho do pé.

Além de sofrer danos físicos, você também deve se precaver contra danos morais. Ou seja, tente não sair de casa à noite, pois pode passar vergonha. Tudo bem que uma saidinha com os amigos sempre é uma boa ideia para esquecer dos problemas: comer pizza, jogar conversa fora, beber um pouco, tudo faz parte. Mas, no final…, cadê a grana? Ainda bem que amigo é pra essas – e tantas outras – coisas!

Se preferir não sair à noite…, bem, prefira não sair pela manhã também. Sabe aquelas pessoas que falam muito e não percebem caso você esteja com pressa, perdendo um ônibus ou simplesmente doido para matá-la? Vão aparecer pelo menos umas dez, inclusive aquele inimigo que nunca mais te cumprimentou e que, agora, vai pedir desculpas e jurar amor eterno (sei).

Se não quiser enfrentar esse perigo, saia de carro. Tá bem, não saia de carro. Pode passar pelo mesmo trajeto de sempre, mas algo vai acontecer. Uma pane elétrica, um prego pra furar o pneu ou, principalmente, uma blitz onde jamais houve alguma. E você será parado. E eles vão encontrar algo de errado com seu carro. E um movimento seu vai fazer a rosquinha do policial cair no chão. Se for um pão…, o lado da manteiga é que vai para o chão.

Prefira evitar a casa da namorada, também. Sabe aquilo que “nunca aconteceu antes”? Nunca se sabe… E, depois de tudo isso, é melhor evitar que aconteça pela primeira vez. Se você for homem, sua namorada estará com TPM. Das bravas. Aí você me diz, “mas só uma visitinha não faz mal, né?” Desculpem-me a chatice, mas devo alertá-los, é meu dever de jornalista: faz mal sim. Nesses dias, sorvete e hambúrguer com catchup são armas apontadas para sua camisa nova. Vai sujar muito, e não vai sair tão fácil.

Aliás, a cozinha é um lugar que, nesses dias, deveria ser isolado com aquelas fitas pretas e amarelas. A gravidade fica mais forte e tudo quer cair, desde o leite e os copos até a pesada vasilha de arroz doce – ou de outra coisa que suje muito e que não desgrude tão cedo do chão. E claro, a manteiga vai cair virada para o chão.

Se estiver no trabalho, não saia para beber café ou água. O resultado pode ser aquele colega chato gritando pra todos que você mijou nas calças – já ouço as risadas ao fundo… Ah, e não é bom segurar muito para ir ao banheiro: vá logo, antes que aconteça qualquer coisa imprevisível – e torça muito para que, lá estando, tudo ocorra normalmente.

Mas suponhamos que seja um dia de folga. “Tudo bem, então!”, você pensa. Mas eu discordo. Primeiramente, mantenha-se longe dos colegas de trabalho. Pelada no fim-de-semana? Jamais! Além de perder todos os gols feitos e errar os passes decisivos, você pode escorregar e involuntariamente atingir seu chefe, que vai adiar sua promoção enquanto ele não se recuperar – e, acredite, vai demorar. Bom, você pode pensar, “que nada, eu sou craque, o ‘Joga 10’, ‘Ronaldo’!” Lembre-se que perder um pênalti pode ser pior do que qualquer outra gafe futebolística, considerando-se o nível de zoação que virá de todos os lados.

Só como exemplo: o atacante do Grêmio, Jonas, já foi considerado o pior atacante do mundo, após perder três gols feitos na primeira fase da Libertadores contra o glorioso (sei) Boyacá Chicó, da Colômbia. O mesmo atacante perdeu um pênalti contra o Fluminense… Tudo bem que o Fluminense, com todo o azar do mundo, viu o árbitro mandar a cobrança voltar. Pra piorar a situação, Tcheco, cobrador oficial, marcou. Na chegada do Fluminense ao Rio, alguns torcedores manifestaram dando socos e chutes no ônibus. Tomara que ninguém tenha se machucado. Os torcedores não lembraram das quinas do ônibus…

Se serve como consolo, vale lembrar que os cariocas já tiveram maré de azar pior, até que surgiu uma bagunça, chamada Copa João Havelange, em que o tricolor das laranjeiras ressurgiu das Cinzas (com C maiúsculo de série C). Enquanto isso…

A maré de azar fez o próprio Jonas fechar a goleada – como uma cereja sobre uma torta. Ele está na artilharia do Brasileirão, ao lado de Adriano, do Flamengo. Só pra valorizar a cereja: Jonas marcou um belíssimo gol, driblando o goleiro e afundando para as redes com a tranquilidade que não teve contra o Boyacá Chicó. O atacante mostrou que, com trabalho, dias melhores podem vir. E que o azar fique só para a Argentina de Maradona e para o pão com manteiga.

* atualização: inseri a imagem do Pablo Carranza!

por Pablo Carranza

por Pablo Carranza

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: