Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \04\UTC 2009

Quantas vezes você, em uma ocasião não muito favorável, disse que “nem pagando” faria determinada coisa? Isto é: nem que lhe pagassem você se submeteria a fazer aquilo! Trabalhar de meia-noite às seis? Nem pagando! Pegar lotação às seis da tarde? Nem pagando! Vestir a camisa do Atlético? Nem pagando! Ouvir pagode? Nem pagando!!! Mas…

Quem diz isso, é porque separa as coisas que faria ou não faria em três grupos, que são:

 

Grupo 1: coisas que faço por livre e espontânea vontade;

Grupo 2: coisas que só faço se me pagarem;

Grupo 3: coisas que nem pagando eu faço.

 

Ou seja, pressupõe-se que aqueles que encaixam algumas de suas ações cotidianas no terceiro grupo, também separam outras nos grupos 1 e 2. Da mesma forma acontece com aqueles que não ligam muito para o dinheiro: ao invés de dizer “nem pagando”, dizem “nem a pau”.

Ehrr… apesar de tudo, analisemos.

Quem diz coisas tipo “nem a pau eu pago tudo isso”, ou “não converso com fulana nem a pau”, deixa claro que, fora essas frases típicas do grupo 3, também encaixa algumas ações do seu cotidiano no grupo 2. Assim sendo, há, para essas pessoas, aquelas coisas que ela “só faz a pau”. Ou essa pessoa é masoquista ou…

É melhor passar para outra classificação dos “nem”: os “nem fodendo”!

Quer dizer que, fora aquelas coisas que você faz por livre e espontânea vontade e aquelas que nem fodendo você faz… têm as outras que você só faz se te foderem??? Vejamos algumas comparações:

Se você diz: “não vou ficar pra essa aula chata nem fodendo” (grupo 3), então pode-se supor que, noutra situação, você dirá: “só fico pra essa aula chata se me foderem” (grupo 2).

Ou, começando pela ordem inversa, num caso complicado de entender, alguém diz: “só fodo essa baranga fodendo!” (grupo 2), que é uma frase completamente lógica, até redundante, ao ponto de não ser necessário dizê-la. Mas essa pessoa possivelmente diria, numa situação parecida: “não fodo aquela baranga nem fodendo…” (grupo 3), o que geraria incompreensão demais pra minha capacidade de compreensão.

 

E aí: o que você não faz nem fodendo, nem pagando, ou nem a pau?

E o que você só faz se te pagarem, te derem pauladas ou te foderem?

Read Full Post »

Niko

Em 24 horas, pelo menos 3,6 milhões de pessoas estavam em condições de cometer todo tipo de crime nos EUA, através das mãos de um imigrante iugoslavo, mais precisamente da região da atual Croácia. Nikolai Bellic, 30 anos, trabalha atualmente com roubo de carros. Mas, para isso, não poupa a vida de quem dificultar suas ações. Aqueles que querem, conseguem facilmente “contratar” Bellic: ele faz exatamente o que seus mandantes determinam, sem reclamar nem dar palpites na estratégia do roubo.

Bellic era, ainda na Iugoslávia, um criminoso acusado de vários crimes, como assassinato e tráfico humano. Foi convencido a deixar seu país depois que Roman enganou o primo “Niko” – apelido de Nikolai –, plantando nele o sonho americano de possuir belas mulheres, carros e mansões. Chegou a participar da Guerra da Bósnia. Na sua antiga unidade do exército, foi traído. Até hoje ele procura o traidor.

Enquanto não realiza seu sonho de vingança, continua roubando carros. Talvez para passar despercebido, Niko mantém uma aparência que lhe permite ser confundido com tantas outras pessoas. Jaqueta de couro, calça jeans e barba por fazer. Sua expressão é pesada, passando a impressão de que mover os músculos da face seja uma tarefa árdua, a ponto de nunca sorrir.

O frio ladrão não se importa com os danos causados às pessoas ou ao ambiente em que vive. Entre muitas barbaridades, mata policiais. Mas esse talvez seja seu menor crime – há outros cometidos apenas por prazer de Niko e de seus “chefes”. Dependendo de quem for seu mandante, ele desvia o carro da rua pelo simples prazer de atropelar quem quer que seja. Também atira em qualquer um, apenas por satisfação. Vai a qualquer lugar sem esconder o rosto, mesmo portando armas, entre elas, pistolas, metralhadoras, granadas, bazucas ou até uma serra elétrica. Ladrão ou terrorista, ele também já queimou pessoas. Não se lembra da identidade das vítimas. Afinal, matar não é seu trabalho: é simplesmente um prazer.

Niko3

Não se sabe se Bellic tem uma residência fixa. Sabe-se apenas que vive em Liberty City. A cidade, mesmo não sendo tão conhecida, é uma representação praticamente exata de Nova York. Recentemente, foram feitos monumentos como a Estátua da Liberdade e a Times Square, que recebem nomes alternativos. A cidade, onde estranhamente a população aumenta, já era conhecida anteriormente também pela prática de roubo de carros. Mas Niko certamente é quem mais obteve sucesso.

Mesmo que não saiba, Nikolai Bellic foi criado especificamente para cometer crimes nas mãos de qualquer um, desde que tenha um equipamento – e não falo do celular, mas do vídeo-game. É o protagonista do jogo Grand Theft Auto (GTA) IV, o produto de entretenimento mais rentável da história: nas primeiras 24 horas depois de ser lançado, vendeu 3,6 milhões de unidades. Atingindo a arrecadação de 310 milhões de dólares, superou o último livro da série Harry Potter e o filme Homem-Aranha 3. Nas mãos de tantas pessoas, Niko não é necessariamente um exemplo para seus “jogadores-mandantes”, mas com certeza é um dos criminosos mais famosos da história – pelo menos da história do entretenimento.

Niko2

 

***

Texto produzido no primeiro semestre de 2008 como trabalho avaliativo em uma das matérias da faculdade.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: